Foto: Divulgação/CSA

Nota Oficial

NOTA

Mais um ciclo é encerrado. Há tanto tempo envolvido com o CSA, nunca, em momento algum, um ciclo foi tão intenso. Foram quatro anos de entrega, intensidade, renúncia e muitas conquistas. Atendendo um convite do presidente executivo voltei para o dia-a-dia do clube em duas frentes: presidindo o conselho deliberativo e tocando o futebol ao lado do próprio Presidente  e com Fabiano Melo.

A intensidade, a entrega trouxe resultados. Tivemos uma ascensão meteórica. Resgatamos o orgulho do torcedor. Nestes quatro anos foram três acessos consecutivos, um título brasileiro, inédito na história do clube – campeão brasileiro da Série C –e dois vice-campeonatos – na Série D e na Série B. Além disto recolocamos o Azulão novamente na elite do futebol brasileiro 32 anos depois. Não menos importante ainda recuperamos a hegemonia do futebol alagoano. Eram nove anos sem o torcedor azulino soltar o grito de campeão. Fomos bi campeões.
Escrito em um parágrafo parece pouco. Também parece que foi rápido. Mas o ciclo, a entrega, a intensidade cobram um preço e chegou a hora de pagar este preço. É hora de parar, diminuir a intensidade, ofertar tempo a família, voltar atenção a negócios e a vida pessoal.

Não estou ‘pulando do barco’, não estou renunciando, não estou deixando o processo após a série A, até porque quem assim pensar, definitivamente não me conhece. O momento hoje é de um clube com calendário, com receita, com visibilidade. Este cenário é absolutamente diferente do que encontramos pois, tentar calendário era um tiro no escuro, diante da desafiadora Série D com mais de 60 equipes, com pelo menos três fases eliminatórias. Minha saída do futebol está relacionada a uma ideia natural de oxigenação no departamento de futebol. É preciso trazer – e, oportunizar – a outras pessoas o mesmo que vivi. Isso, o mesmo que vivi, porque o CSA continuará forte e respeitado como sempre foi ocupando a condição do ‘Maior de Alagoas’.

Permanecerei na função para a qual fui eleito: presidente do conselho deliberativo. Colaborando e enfrentando desafios.

Este último momento é hora de agradecer, primeiramente a Deus por iluminar cada dia deste período vivido com intensidade. Agradecer a confiança e a convocação feita. Agradecer também a Fabiano Melo que dividiu comigo cada dia desta missão e ao Hugo Leahy pela convivência no cotidiano, aos conselheiros e diretores, agradecer técnicos, jogadores, torcedores , familiares e a imprensa.

Novas batalhas estão por vir e seguiremos firmes na luta pelo nosso Azulão.


Leia Também